Edição 2015

Edição 2015 2018-02-22T12:13:47+00:00

O otimismo prevaleceu durante a 16ª Expodireto Cotrijal, realizada de 9 a 13 de março, em Não-Me-Toque. Quem foi à feira para fazer negócios encontrou boas oportunidades. Quem foi em busca de novidades em tecnologia e informação, também saiu satisfeito. Fiel aos seus objetivos, mais uma vez a Expodireto Cotrijal reuniu o que tem de melhor em soluções e serviços para a agricultura e pecuária. E isso, os mais de 230 mil visitantes oriundos de 77 países diferentes podem atestar.

Representando os vários segmentos do agronegócio, os 530 expositores reunidos nos 84 hectares do parque mostraram por que o Brasil é um dos poucos países capazes de suprir a demanda por grãos e produtos de origem animal.

Mas diferente da euforia dos dois últimos anos, o que imperou na Expodireto 2015 foi a cautela na hora de fechar ou “alinhavar” negócios. No total, as propostas de financiamento protocoladas na feira deste ano alcançaram R$ 2,182 bilhões. Já o Pavilhão da Agricultura Familiar foi destaque com alta de 5% nos negócios, totalizando R$ 854 mil.

Diante do cenário econômico difícil do país, com inflação e taxas de juros elevadas, redução de crédito e dólar em elevação, os resultados foram considerados positivos pelo setor. “Tivemos uma feira com expositores satisfeitos e produtores focados em aproveitar oportunidades”, avaliou o presidente da Cotrijal, Nei César Mânica.

O anúncio da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu, de crédito especial aos produtores, também pode ter impulsionado a busca por financiamentos durante a feira. Pelo menos essa era a sensação entre os expositores e instituições financeiras, segundo Mânica. Em visita ao parque da Expodireto, no dia 9, a ministra garantiu R$ 1,5 bilhão para o financiamento de máquinas agrícolas, por meio do Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras (Moderfrota) – linha de financiamento do BNDES -, a uma taxa de juros de 4,5%. E já na quinta-feira da mesma semana (12), ainda durante a feira, a ministra liberou mais R$ 1,8 bilhão, desta vez, com juros anuais de 7,5%.

Kátia Abreu disse da sua alegria e satisfação de vir ao Estado para prestigiar a Expodireto Cotrijal. “É o mínimo que o governo brasileiro pode fazer por este grande evento construído pela iniciativa privada, com todos os seus parceiros”, ressaltou. Ela gostou tanto da feira que estendeu a agenda no parque além do previsto.

O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, também prestigiou a feira. Com um discurso focado na sua política de mandato, afirmou que na Expodireto é possível ver o Estado de uma “sociedade que luta, que avança, que se une, que coopera e que dá certo”. “Estamos na terra do agronegócio. Venho aqui também, junto com a equipe de governo, para colher exemplos”, resumiu.

Pelo parque da Expodireto Cotrijal 2015 passaram ainda o vice-governador do Rio Grande do Sul, José Paulo Dorneles Cairoli, secretários estaduais e federais, senadores, deputados estaduais e federais, além de lideranças do agronegócio e do cooperativismo.

Setenta países estiveram representados na feira, que pela primeira vez contou com a presença de representantes da Malásia, da Bielorrussia, da Irlanda, da Mauritânia e de Mianmar. As maiores delegações foram da Alemanha, Nigéria, Angola e Irã.

OUTROS DESTAQUES

Eventos – Pelo quarto ano consecutivo, a Expodireto Cotrijal sediou audiência pública da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado. Em 2015, um assunto pertinente à grande maioria dos produtores rurais foi amplamente debatido: o emplacamento de tratores. E mais uma vez mostrando a força política da feira, menos de 20 dias depois da audiência pública, os produtores comemoraram o final feliz do polêmico emplacamento, discussão que vinha se arrastando há dois anos.

Foram destaques ainda o 26º Fórum Nacional da Soja, o 7º Fórum Nacional do Milho, o 11º Fórum Estadual do Leite, o 8º Fórum Florestal do Rio Grande do Sul, 6º Seminário da Agroindústria Familiar, 4ª Fórum da Agroenergia, Fórum Soja Brasil e o Fórum Internacional Jovem Cooperativista.

Espaço da Família Rural – Mantido em parceria com a Emater/RS-Ascar, apresenta inovações e soluções para alguns dos principais entraves ao desenvolvimento produtivo e social do Rio Grande do Sul. São projetos, programas e tecnologias ligados à produção de energia, ao abastecimento de grãos e à produção e agroindustrialização de alimentos para o abastecimento de famílias rurais e para a venda em escala comercial.

Em 2015, a instituição propôs uma reflexão sobre a importância da sustentabilidade, colocando em evidência ações que não abrem mão da produtividade, mas que também levem em conta os aspectos econômicos, sociais e ambientais. Em nove parcelas, mostrou projetos, programas, técnicas e tecnologias ligadas à produção de energia, abastecimento de grãos, produção e agroindústria de alimentos para o abastecimento de famílias rurais e para a venda em escala comercial.

Um dos espaços que tem crescido em importância, dentro da parceria com a Emater/RS-Ascar, por proporcionar agregação de valor e de renda para as propriedades familiares, é o Pavilhão da Agricultura Familiar. Neste ano, os 172 expositores – agroindústrias, produtores de flores e de artesanato – fecharam R$ 854 mil nos cinco dias da feira, volume 5% superior ao de 2014.

Espaço da Natureza – Programação privilegiada, através de parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Rio Grande do Sul (Senar/RS), levou grande público ao Espaço da Natureza Cotrijal em 2015. Um dos destaques foi a orientação dos visitantes sobre como fazer o Cadastro Ambiental Rural (CAR), através de palestras no piso superior da Casa do Meio Ambiente.

Outra atividade chamou a atenção foi a oficina de material reciclado montada pelo Senar no piso inferior da Casa do Meio Ambiente. Profissionais da entidade ensinaram os visitantes a reaproveitar garrafas pet, vidros, tecidos, embalagens diversas, além de cascas e sementes, para criar objetos variados.

E o Anfiteatro da Natureza foi palco do BBB Rural 2015. A peça, intitulada “Meio Ambiente Cotrijal, uma disputa rural”, arrancou muitas gargalhadas do público. O objetivo foi conscientizar sobre cuidados importantes com o meio ambiente, como evitar o desperdício de água, fazer corretamente a coleta seletiva de lixo, adotar cuidados recomendados pela assistência técnica na aplicação de defensivos químicos e se informar sobre as questões ambientais.

// Rádio

Abertas as inscrições para o Pavilhão da Agricultura Familiar na 20ª Expodireto

As agroindústrias interessadas em participar da Expodireto Cotrijal 2019 já podem se inscrever. O alinhamento da organização do Pavilhão da Agricultura Familiar na 20ª edição da feira ocorreu em reunião na sede da Cotrijal, em Não-Me-Toque, na manhã desta quarta, 7/11. Participaram representantes da cooperativa, da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural, da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag-RS) e da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Fetraf-RS).

As inscrições iniciam nesta quinta-feira (8/11) e encerram no dia 30 deste mês. Os produtores devem procurar os sindicatos representantes das entidades (Fetag e Fetraf) ou a Emater dos municípios – que também é organizadora do Pavilhão. Serão destinados 180 estandes para as agroindústrias.

“Este é um momento muito importante, em que temos que discutir os anseios e as melhorias para a feira. É uma vitrine para o nosso Estado, que fortalece, valoriza e fomenta a agricultura familiar. Em 2018 batemos recorde de vendas e neste ano temos tudo para superar o resultado anterior”, destacou Cristian Ferreira Gonzalez, chefe de Divisão da Secretaria de Estado.

Rui Valença, coordenador da Fetraf, também está otimista para a 20ª edição. “A Expodireto a cada ano está maior, aumentando assim a nossa responsabilidade. Temos certeza que o pavilhão será mais uma vez um sucesso, tanto na comercialização dos produtos e, mais importante que isso, na prospecção de novos negócios”, apontou.

“A feira é uma grande estratégia de desenvolvimento para a agricultura familiar. É uma oportunidade única para o produtor estar dentro de um grande evento como a Expodireto Cotrijal, a maior da América Latina”, acrescentou Jocimar Rabaioli, assessor de Agroindústrias da Fetag.

Representando a Cotrijal, estiveram o presidente Nei César Mânica, o vice-presidente Enio Schroeder, o superintendente de Produção Agropecuária Gelson Melo de Lima, o coordenador do Parque da Expodireto Marlon Ellwanger Lauxen e a assistente administrativa Patricia Kayser.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Cotrijal

Produção animal: ofertas exclusivas para o produtor Cotrijal

Lançamento de produtos para nutrição e saúde animal e promoções serão alguns dos destaques do estande da Produção Animal e das Lojas Cotrijal na 19ª Expodireto Cotrijal.

Com estrutura localizada próximo ao Pavilhão da Agricultura Familiar, a intenção é que os produtores e visitantes encontrem no local além de ótimas oportunidades de negócios também um espaço para buscar informações sobre o melhor planejamento da atividade leiteira.

Segundo o gerente de Produção Animal, Renne Granato, os visitantes poderão conferir resultados da Àrea Experimental em milho para silagem, forrageiras de inverno e de verão, gestão da atividade leiteira e reprodução. “É um espaço para a troca de ideias e bons negócios”, explica.

Também durante a feira a cooperativa trabalhará o Programa de Insumos para a Atividade Agropecuária, o Troca de Inverno, campanha exclusiva para os produtores/associados da Cotrijal que disponibiliza opções especiais para a aquisição de insumos para a formação de pastagens. “A campanha deste ano apresenta um vasto portfólio de produtos e ótimas condições comerciais”, destaca Granato.

Coletiva de encerramento

O presidente, Nei César Mânica, e vice-presidente, Enio Schroeder, anunciaram os números oficiais ao lado de colaboradores que lideram as comissões organizadoras. O total geral de negócios encerrou em R$ 2.182.196 bilhões. Desse total, os bancos contabilizaram R$ 1.596.000 bilhões; já os bancos de fábrica somaram um total de R$ 237.800 milhões; recursos próprios fecharam em R$ 110.028 milhões; o Pavilhão Internacional teve R$ 237.514 milhões; e a agricultura familiar teve um acréscimo de 5%, contabilizando R$ 854 mil.

// Vídeos

// Galeria de Imagens

X