Pavilhão Internacional deve privilegiar importadores

Pavilhão Internacional deve privilegiar importadores
16/11/2010 noticias
A cinco meses de mais uma edição da Feira, delegações internacionais já mantém contato para participar do evento.

Desde que a Expodireto Cotrijal se tornou uma feira internacional, o número de delegações estrangeiras participantes tem aumentado ano a ano. Na próxima edição, que acontece entre os dias 14 a 18 de março de 2011, a terceira como Feira Internacional, o projeto, segundo o assessor da Diretoria da Cotrijal, José Ignácio Diehl, é intensificar o olhar sobre os importadores, visando atrair um maior número de compradores para a Expodireto. "O interessante de ter uma feira internacional é que estamos abertos para importadores e exportadores. Vamos manter as parcerias com o Sebrae, a Fiergs, a Sedai e a Appex, por exemplo, mas intensificando o olhar sobre os importadores", revelou. Na edição de 2010, um dos fatores que trouxeram as dezenas de delegações para a Expodireto foi a missão internacional promovida pela cooperativa, a Cotrijal On The Way, formada por gerentes da cooperativa que visitaram vários países fazendo propaganda da feira e distribuindo convites. "Agora, para 2011, a princípio não haverá essa missão, porque ainda estamos sentindo os reflexos dessas visitas. A missão não é de curto, mas sim de médio e longo prazo", afirmou Diehl, ressaltando que algumas delegações, como a da Alemanha, da Argentina e da Áustria já estão mantendo contato e confirmando a presença nos cinco dias do evento. "A China, inclusive, onde estivemos divulgando a Expodireto, deverá estar presente com uma representação". Expansão Embora a ideia não seja expandir o espaço físico do Pavilhão Internacional, Diehl assegurou que uma área externa da Feira deverá ser destinada a exposição de produtos trazidos por empresas estrangeiras. "Tínhamos uma mistura dentro do Pavilhão, que era a de expositores argentinos e o local para as rodadas de negócios. Em 2011, teremos um espaço especifico para esta finalidade e outro para a exposição, em uma área externa, reservada para isso", reforçou, reiterando que o objetivo é transformar o Pavilhão Internacional em um importante espaço de negociações. Como funcionam as Rodadas Na prática, as rodadas de negócio nada mais são do que encontros agendados entre as empresas que produzem e as empresas que importam determinado produto. As negociações são mediadas pela Cotrijal, com o apoio técnico do Sebrae e de 15 intérpretes. Os negócios internacionais também acontecem em outros locais dentro do Parque de Exposição. Os representantes dos países visitam os estandes de todos os setores da feira em busca de informações sobre as empresas brasileiras.


Compartilhar:
Todos os Direitos Reservados © 2019
Desenvolvido por: BRSIS