Cooperativismo como o indutor do desenvolvimento é foco do espaço temático

Cooperativismo como o indutor do desenvolvimento é foco do espaço temático
15/03/2019 edição 2019

Este ano, o espaço temático do Cooperativismo da Emater/RS-Ascar, na Expodireto Cotrijal, mostrou o dinamismo e a inserção das cooperativas no desenvolvimento local e regional. Da mesma forma, foi apresentado um levantamento de dados referente ao trabalho realizado pelas Unidades de Cooperativismo (UCPs), que visa o fortalecimento e melhoria da gestão das cooperativas agropecuárias do RS.

No espaço temático, equipes das UCPs de Frederico Westphalen, Ijuí e Erechim, trouxeram produtos de cooperativas das três regiões, para representar as mais de 200 cooperativas atendidas pelas unidades no RS. “São produtos em que os associados, agricultores familiares, produzem a matéria-prima e a cooperativa faz a agroindustrialização, ou então o agricultor tem a sua agroindústria formalizada e depois faz a comercialização via cooperativa. Esses produtos são vendidos em feiras, para o consumidor final e também na alimentação escolar”, explicou a contadora da UCP de Frederico Westphalen, Lia Helena Rocha.

Na parcela da Expodireto, as equipes das UCPs também apresentaram os números do cooperativismo que envolvem o Programa de Extensão Cooperativa (PEC). Segundo os dados apresentados, observando uma amostra de 60 cooperativas assistidas pelo PEC (cooperativas da mesma atividade e com estrutura similar), houve evolução no setor. Em 2013, o número de associados das cooperativas era de aproximadamente sete mil e passou para mais de 8,5 mil, em 2017. As vendas do mercado institucional, que são muito representativas para as cooperativas, passaram de R$ 17 milhões, em 2013, para R$ 30 milhões, em 2017. Em vendas totais, as cooperativas analisadas saíram de um faturamento de R$ 92 milhões (2013), para mais de R$ 180 milhões, em 2017.

A UCP de Frederico Westphalen trouxe para o espaço temático o levantamento realizado na região e apresentou os números das cooperativas do Médio Alto Uruguai, que também confirmaram o crescimento do setor cooperativo.

A intercooperação também foi abordada na parcela. Um mapa ilustrou o exemplo de intercooperação que acontece dentro do RS através da Redecoop, que é uma associação de 42 cooperativas do Estado, das regiões de Erechim, Santa Rosa, Santa Maria, Canoas e envolve algumas cooperativas de Frederico Westphalen, e trabalha na organização da logística para a troca de produtos entre uma região e outra, buscando fortalecer ainda mais o setor, através da expansão da comercialização de produtos.

“É um setor em constante evolução. E a perspectiva é que se mantenha nesse crescimento. Acreditamos que o cooperativismo é uma via segura quando há gestão e seriedade das pessoas nas atividades que envolvem outros, como os associados, que colocam a confiança da sua produção, do que a sua propriedade produz, para aumentar sua renda através das suas organizações”, completou Lia.

Como tradição no espaço do Cooperativismo, este ano a Creluz, Cooperativa de Distribuição e Geração de Energia, cedeu mudas de árvores nativas para distribuição aos visitantes.

Gestão Sustentável da Agricultura Familiar

No mesmo espaço na Expodireto Cotrijal, a Emater/RS-Ascar está divulgando o Programa Gestão Sustentável da Agricultura Familiar. O Programa, coordenado pelo Governo do Estado, é executado pela Emater/RS-Ascar e tem o objetivo de promover a gestão e adequação socioeconômica e ambiental das propriedades rurais familiares do RS, através do acompanhamento da execução dos planos de gestão, das ações de Assistência Técnica e Extensão Rural e Social (ATERS) e da construção de indicadores de impactos econômicos, sociais e ambientais. As famílias de agricultores que visitaram a Feira puderam conhecer mais sobre esse trabalho.

Fonte: Assessoria de Imprensa Emater/RS-Ascar



Compartilhar:
Todos os Direitos Reservados © 2019
Desenvolvido por: BRSIS